segunda-feira, 2 de outubro de 2017

DESILUSÃO
 
Infeliz de quem volta ao Mais Além
Imaginando ter chegado ao Céu,
Rasgando do mistério o denso véu
Da Vida a revelar-se sem desdém...
 
Surpreso ante a Verdade que ninguém
Pode olvidar na condição de réu,
Desventurado e vagueando ao léu,
A lágrima nos olhos não contém...
 
Escuta, então, no âmago da alma
A voz da consciência que lhe acalma,
Em meio da cruel desilusão:
 
 - É preciso subir, descendo a Terra,
Pois na existência humana é que se encerra
A verdadeira estrada de ascensão!...
 
Antero de Quental
 
(Página recebida pelo médium Carlos A. Baccelli, em reunião pública do Lar Espírita “Pedro e Paulo”, na manhã de sábado do dia  8 de abril de 2017, em Uberaba – MG)



3 comentários:

  1. Bom dia Formiga e Antero de Quental!!

    Linda poesia, que reflete a nossa necessidade de reencarnamos.

    Obrigado!!
    Excelente dia e semana para todos nós!!
    Fiquemos com o BOM DEUS!! \O/

    Carlos A. Gomes

    ResponderExcluir
  2. Cadichon Pirilampo2 de outubro de 2017 09:24

    Bom dia, Amigos Espirituais visíveis e invisíveis! Amor, Luz e Paz! Agradecemos a gentileza poética de Antero Tarquínio de Quental (1842-1891) pelos versos convidativos para a nossa reflexão a respeito da vida futura! Deus e Jesus abençoem ao nobre poeta! Um abraço fraternal! Cadichon Pirilampo (09:23)!!!

    ResponderExcluir
  3. Bom dia. Irmão Antero de Quental, vós sabeis bem que a vida se mostra dura para nós, mas também sabemos que não podemos desistir. A ilusão da morte que não existe não pode nos seduzir. Obrigada.

    ResponderExcluir